Análise: Tanglewood

Com a Mega Drive a completar os 30 anos desde o seu lançamento, esta recebe um novo jogo, Tanglewood, o que é além de fantástico uma prova do amor que alguns jogadores nutrem por esta consola clássica. No entanto a versão que recebemos é a que saiu na Steam que oferece praticamente a mesma experiência sem todos os pormenores nostálgicos que jogar no hardware clássico traz.

Mais do que uma homenagem aos jogos de plataformas dos anos 90, Tanglewood é um genuíno jogo 16 bits, desenvolvido com as mesmas ferramentas utilizadas nessa época, o que é de louvar já que com tudo o que existe atualmente seria muito mais simples de desenvolver Tanglewood e talvez até depois exportar o código para correr na Mega Drive.

O jogo tem como protagonista Nymn, uma simpática criatura parecida com uma raposa que se separa do resto do grupo e que agora precisa de encontrar os seus amigos e familiares. A tarefa não é fácil, Nymn tem de enfrentar perigos como armadilhas mortais e predadores. Em termos de conceitos e mecânicas de jogo, Tanglewood mistura plataformas com alguns puzzles num equilibrio relativamente bem conseguido.

O jogo é desafiante uma vez que não existe uma barra de vida e um simples toque de um inimigo causa a morte e é importante ficar atento aos checkpoints, para não ter que voltar muito atrás quando eventualmente morrermos. No entanto existem vidas infinitas portanto não existe o risco de um verdadeiro game over à antiga.

Graças a pequenas criaturas da floresta chamadas Fuzzl o nosso herói ganha poderes especiais por um curto período de tempo. Existe também um Fuzzl vermelho, que deve ser usado em engrenagens para ativar armadilhas ou alcançar novas áreas.
O jogador pode ainda recolher pirilampos durante a aventura mas isso em nada afeta o resultado do que quer que seja e serve apenas como desafio adicional.

A história está dividada em 8 capítulos divididos e 3 actos para um total de 26 níveis com cada área de tamanho considerável, o que vai somar e dar-nos um tempo de jogo bastante grande já que cada acto pode demorar uma hora.A Duração do jogo vai depender da habilidade do jogador mas não foge muito destes valores.Cada capítulo tem desafios e inimigos novos que exigem mais do jogador e um sistema de dia e noite, que traz criaturas mais perigosas durante a noite.

Visualmente Tanglewood é soberbo, com destaque para as animações mas todo o design , desde os inimigos aos cenários são fantásticos especialmente quando consideramos que pode ser jogado na Mega drive. Os efeitos sonoros e músicas completam tudo isto de forma brilhante e fazem de Tanglewood um jogo mais do que recomendado.

Tiago Roque

Leave A Comment